Fuego! Desejo Texano - Parte I
Postado por Vader

Saudações, aprendizes.


Se há uma coisa que eu nunca consegui entender muito bem e que existe em toda a extensão do universo é a pretensão da crítica literária. Não entendo como podem glorificar Paulo Coelho e o seu título simbólico de imortal da Academia Brasileira de Letras (cujo ato solene foi de suma importância na história do Império) e ao mesmo tempo massacrarem autores fantásticos e de raríssima imaginação como a Dona Maria Mais ou Menos da Falabella.

Pensando nisso, no alto da minha suprema generosidade, resolvi dar uma chance aos injustiçados autores marginalizados, dedicando-lhes alguns minutos semanais da minha atenção em escrever humildes resenhas, as quais reunirei singelamente sob o marcador «Vader's readings».

Foram chuvas de sugestões - desprezo aprendizes que fazem o possível para se aparecer... Para começar esta série de resenhas, decidi, ingenuamente e sem muitas esperanças, aceitar uma sugestão em especial, dando início à leitura de um livro surpreendente e arrebatador do qual transcrevo a sinopse - Desejo Texano:


Segurem-se meninas! O que acontece quando três mulheres loucas por aventuras encontram três pedaços de mau caminho?

Um homem de verdade - Kimberly Raye
Cheryl Anne Cash é instrutora oficial de prazeres. E ela mal pode esperar para mostrar suas novas habilidades ao seu ex-amante...

Bad boy - Alison Kent
Tess Autrey não é nenhuma oferecida, mas quando conhece um rancheiro de tirar o fôlego ela começa a rever sua estratégia...

O amor está no ar - Cara Summers
Já faz alguns meses que o sexy Texas Ranger de Macy desapareceu no ar... e agora ele está de volta! E tem planos muito interessantes para compensar o tempo perdido...


Segurem-se, meninas! Infelizmente, esta semana exponho as minhas modestas opiniões apenas sobre Bad boy da Alison Kent, uma autora merecedora de ocupar com honras a desditosa cadeira 21 da ABL - claro, se fosse brasileira.

Bad boy, conta a odisseia de Tess Autrey, uma psicóloga com problemas de relacionamento com a sua mãe, a qual insiste em querer lhe garantir um casamento promissor.

Numa das suas artimanhas para fugir de mais uma oportunidade em se dar bem na vida às custas de um marido RICO (não que a nossa protagonista seja pobre - detestaria isso) a Dr.ª Autrey aceita escrever um texto para a coluna Sexo na Sela, abordando a vida sexual de peões de rodeio e as suas tietes, numa revista de excelente prestígio. Para isso, Tess teria de passar quatro dias no disputadíssimo rancho Triple RC (diz-se que artistas de renome internacional não tiveram a mesma sorte da nossa protagonista) a fim de traçar um perfil dos peões e ouvir o seu lado da história.

Pobre Tess Audrey, não imaginava que ela mesma se tornaria uma tiete antes mesmo de chegar ao rancho. Enquanto confirmava a sua estadia, Tess se derretia e se abria toda com o nosso protagonista garanhão Wyatt Crowe. A sua ruína foi encontrá-lo pela primeira vez dominando o seu alazão com a elegância de um Skywalker, suado sob o sol quente de uma manhã do fim de inverno texano. Os dois trocam a melhor correspondência de olhares da história do universo.
A partir de então, fica difícil para a nossa virgem vestal manter o decoro e o profissionalismo e não se deixar influenciar por essa presença marcante e musculosa, aumentando a tensão e os seus dilemas emocionais. Principalmente por que o Crowe «estava subindo pelas paredes» sic e já tinha tudo planejado para seduzir a nossa inocente raparigota.


Pontos fortes:

- A Tess Audrey faz a vilania se orgulhar neste livro bem elaborado. Devo confessar que me emocionei ao ler: «A DOUTORA Tess Autrey adorava tudo que era novo. O cheiro de carros novos. O encaixe de sapatos novos. O cardápio de sobremesas em um novo restaurante.» Gostei do seu sentimento esnobe, sobretudo pela forma em que se dá destaque ao DOUTORA. Basta de protagonistas humildes.

- A mãe da Tess Audrey, Sua Alteza Georgina, foi uma personagem de fato muito relevante para expor o caráter paradoxal da nossa querida protagonista. Ela adora o novo e não é casada com um homem rico. Como ela espera manter a sua compulsão pelas novidades? Ponto para Vossa Majestade, Georgina. Obrigue essa menina a casar logo.

- As tietes de rodeio. Uma pena não existirem tietes intergaláticas.

- Os modos pouco delicados do nosso protagonista.

- O excelente ponto de vista da estimada escritora Alison Kent sobre as relações sexistas.


Pontos fracos:

- O título não condiz com o enredo. Eu não estava presente na história, logo, não existiu nenhum bad boy.


Caríssimos, não lhes apetecerá se revelar mais informações do que as que já apresentei aqui. No entanto, se esta pequena resenha sobre um enredo original e ardente não foi o suficiente para estimular a vossa vontade em se deliciarem com esta obra prima marginalizada, só me resta apresentar os seguintes trechos selecionados com o rigor do mais inflexível dos vilões:

«— Que horas são? — Além de ser hora de morrer de vergonha... (Tess)
— Hora de ir para a cama. (Wyatt)
— Juntos?
— Ótimo...
(...)
— É o que você quer?
(...)
— Desculpe. Acho que devia ter ficado só no chá. Não costumo ser tão antiprofissional. Nem tão... fácil Tão... faminta...»


«— A coisa está se encaminhando desde que nos vimos naquela estrada. Foi quando tudo começou. Você olhando para mim. Eu olhando para você. Ou antes, naquele telefonema, com você me dizendo que celibato era coisa de passarinho. (Wyatt)»


«Adentrou-a com um só golpe longo, e ela arfou ao ser preenchida por ele, e lhe envolveu o pescoço com os braços, segurando-se para a cavalgada, e ela sabia que esta cavalgada não demoraria muito tempo para nenhum dos dois.
(...)
— Isso NÃO devia ter acontecido tão rápido — ele disse, já na cama, levando o cotovelo direito para mais perto da cabeça dela, cujos cachos molhados estavam colados à pele dele.»


«— Diga-me uma coisa. É realmente possível fazer sexo sobre um cavalo em movimento? (Tess)
(...)
— Ah, Wyatt Crowe, acho que eu amo você.
— E eu acho que amo você, Tess Autrey — ele disse. — E por você, eu posso até tentar fazer este negócio no cavalo...»

Com estas brilhantes citações, deixo os senhores aprendizes no gosto de quero-mais e me despeço.

Até a próxima semana.

Photo

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

às 21:16


Marcadores:
,
,
,

4 comentários:

2 de setembro de 2010 20:16
Permalink this comment

disse...

18+++++++++++++++++++++++++++++++++++++
nÃO TENHO NEM COMENTÁRIOS!
como que uma pessoa compra isso?
LOL
aprove meu comentário logo viu seu youkai!

3 de setembro de 2010 10:35
Permalink this comment

disse...

eu adorei o livro, teve partes que eu realmente me emocionei.

Eu senti tambem todo o desejo e o amor que floreceu nos quatro dias que eles ficaram juntos, e o amor prosperou. Achei lindo!

Um livro emocionante!

A resenha ficou otima... bom livro...

8 de setembro de 2010 09:14
Permalink this comment

disse...

+18 com certeza...
Livro de quem ta só, abandonado, ai vc lê Fuego, e o fuego acende em você...
HUAHAHAHAUHAA

Sinceramente, um livro que eu não compraria se visse na banca, ou livraria, mas depois dessa resenha e do comentário da Beesha, brotou dentro de mim a vontade de ler Fuego, e a curiosidade sobre esse mundo de Cowboys e marias breteiras...

15 de setembro de 2010 14:31
Permalink this comment

disse...

Não sei se choro ou se dou risada...

O livro é lindo, muito emocionante, e por causa da sua resenha vou colocá-lo na minha lista de livros para ler urgente!

Obrigada pela dica :P

Bjs